A segurança do trabalho é um tema muito importante em nossa sociedade. Graças a ela, é possível criar e utilizar técnicas que prezam pela saúde e o bem-estar dos funcionários de uma empresa.

Em todos os ramos de atuação, ela vem ganhando cada vez mais espaço e notoriedade. Assim, as decisões que um técnico em segurança do trabalho toma são fundamentais para a obtenção de resultados positivos e a preservação do capital humano de uma gestão.

Um passo essencial desses processos está relacionado à análise de risco. Cada ambiente de trabalho apresenta circunstâncias e perigos que podem prejudicar a vida dos colaboradores. Desse modo, é necessário utilizar as melhores estratégias que evitam acidentes e outros problemas.

O nosso post vai ajudar você a entender o valor da análise de risco para o sucesso das atividades e como ela deve ser feita. Continue a leitura e confira!

Qual é a importância de pensar estrategicamente nas inspeções e análise de risco?

Quem acompanha o nosso blog sabe o quão importante a análise preliminar de riscos (APR) é para o cumprimento das obrigações legislativas e para a diminuição de acidentes.

Ela consiste no estudo antecipado das etapas do trabalho a ser realizado em uma localidade, levando em consideração os riscos ao meio ambiente, às pessoas, ao patrimônio financeiro e à estrutura física da empresa.

Deve ser realizada para garantir a integridade física e psicológica dos colaboradores da equipe. Apesar disso, algumas gestões não dão importância para esse assunto e não a realizam.

Em outras ocasiões, ela é feita junto com o início das atividades. Isso acarreta a ineficiência dos estudos, já que dúvidas podem surgir e esclarecimentos serem realizados superficialmente.

Infelizmente, todos esses casos trazem péssimas consequências para o negócio. Dessa forma, é necessário enxergá-las como partes fundamentais de qualquer processo produtivo.

Todos os cuidados devem ser tomados, a fim de evitar falhas e garantir a segurança dos envolvidos. Um acidente pode causar danos à saúde dos colaboradores e afetar a empresa inteira.

Por exemplo, se não há equipamentos de segurança na realização de alguma atividade, todos os esforços são direcionados para a resolução desse problema. A análise de riscos precisa fazer parte da rotina de trabalho para que tudo aconteça como planejado e receber toda a atenção necessária.

Com a análise preliminar, é possível antecipar situações problemáticas e propor soluções adequadas às exigências normativas. Além do mais, o nível de segurança de cada atividade pode crescer em função dos riscos que ela apresenta ao longo do desenvolvimento do projeto.

O trabalho em espaço confinado é uma situação que exige muito cuidado e atenção, fazendo com que todos os detalhes sejam analisados e compreendidos. Todo o ambiente e as ferramentas de trabalho precisam ser estudadas e escolhidas adequadamente.

O período em que as atividades acontecem também é determinante para a APR. Se os trabalhadores atuam na parte da manhã, as condições de temperatura, umidade e pressão do ar são completamente diferentes se comparadas a uma situação no período noturno.

Por mais que as equipes trabalhem com os mesmos equipamentos de segurança e realizem as mesmas atividades, essas ocasiões apresentam riscos diferentes e exigem soluções distintas.

Quais são os tipos?

As inspeções de análise de risco são rotineiras e podem variar de acordo com o porte e o campo de atuação do negócio. De qualquer forma, existem sete classificações para orientar, determinar as regras de cada uma delas e facilitar a identificação de possíveis doenças ocupacionais. Confira-as abaixo:

  • inspeção de rotina: como o próprio nome já diz, ela é realizada periodicamente no dia a dia de trabalho da gestão. Seu principal objetivo é determinar os problemas que prejudicam a rotina diária dos trabalhadores;
  • inspeção periódica: realizada com horário e local marcado e em intervalos regulares. Por isso, ela exige um planejamento, a fim de identificar as condições de trabalho na empresa;
  • inspeção oficial: análises realizadas por órgãos oficiais e devido a determinações judiciais. Além disso, elas acontecem caso haja uma exigência das normas regulamentadoras;
  • inspeção especial: acontecem sem o aviso prévio e em situações extraordinárias, como após a ocorrência de acidente ou para solucionar um problema com mais detalhes e precisão;
  • inspeção eventual: atividades relacionadas à inspeção da qualidade de equipamentos, instalações e outros elementos da infraestrutura do negócio;
  • inspeção geral: processos programados e que verificam as condições de todas as áreas da empresa;
  • inspeção parcial: trabalhos feitos em setores isolados e quando já existe algum tipo de problema.

Como fazer as inspeções e análises de risco da melhor forma possível?

É perceptível que a análise de riscos é um procedimento essencial em uma empresa que deseja evitar acidentes, melhorar a qualidade de vida dos funcionários e alcançar melhores indicadores de desempenho.

Muitos técnicos têm dúvidas sobre as melhores práticas para a realização desse tipo de serviço. Como existem diversas atividades e vários campos de atuação, como a indústria  petroquímica e o agronegócio, cada caso deve ser analisado estrategicamente.

De qualquer forma, o planejamento é uma das principais etapas. A determinação de um cronograma facilita o engajamento de colaboradores e coloca em prática as melhores metodologias que o mercado tem a oferecer.

A análise de riscos no trabalho deve ser realizada por todos os funcionários de segurança do trabalho da empresa. Esses profissionais devem direcionar seus esforços para a obtenção de informações atualizadas sobre as atividades exercidas no ambiente. caso necessário devem solicitar o auxílio técnico de outros profissionais ou especialistas da empresa visto que a multidisciplinaridade é saudável neste tipo de processo.

Visitas aos diferentes setores e áreas da companhia são determinantes para entender como os processos acontecem e de que forma os colaboradores estão expostos.

Não existe um modelo pronto para uma APR eficiente. Porém, as seguintes etapas podem ajudá-lo a realizá-la:

  • identificar os riscos existentes;
  • listar todos os perigos;
  • procurar e identificar suas causas e origens;
  • descobrir quais equipamentos e funcionários estão em risco;
  • prever os danos que podem ser causados;
  • planejar medidas para o controle e a correção de falhas operacionais;
  • trabalhar com ferramentas de qualidade e com boa procedência no mercado.

O que você achou do nosso conteúdo? Entendeu qual é a importância e como realizar a análise de risco no trabalho com segurança e eficiência? Então, entre em contato com a Conect e descubra as melhores soluções e produtos da segurança do trabalho!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *